A primeira Smart City do Brasil, você conhece?

Tempo de leitura: 2 minutos

0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O nome dela é Smart City Laguna, a primeira “cidade inteligente” do Brasil. A inauguração era prevista para 2017, naquela época o empreendimento contaria, em sua primeira fase, com 1.800 unidades e, no total, 7.065, divididas entre residenciais, comerciais e de uso tecnológico.

Localização

Localizada no distrito de Croatá, que faz parte da cidade de São Gonçalo do Amarante, a primeira smart city brasileira ocupa uma porção de terra de 330 hectares conectada diretamente à rodovia federal BR-22, que cruza os estados do Ceará, Piauí e Maranhão, partindo de Fortaleza em direção à Marabá, no Pará. A escolha do local tem razões econômicas: a proximidade com o Porto do Pecém, em Fortaleza, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e a Ferrovia Transnordestina fazem de Croatá um ponto estratégico no nordeste que vem sendo ocupado nos últimos anos por empresas de tecnologia, conformando um chamado “Cinturão Digital” a pouco mais de 50 quilômetros da capital cearense.

Conceito

Autoproclamada a primeira smart city social do mundo, o empreendimento do grupo italiano Planet se afirma pioneiro por oferecer lotes para todas as faixas de renda, incluindo unidades do programa nacional Minha Casa Minha Vida, para famílias com renda de até 1,5 salários mínimos. Para além do diferencial, o projeto se enquadra no mesmo recorte conceitual do qual fazem parte outras “cidades inteligentes” do mundo, que têm seus projetos embasados em princípios tecnológicos, de sustentabilidade e de mobilidade urbana.

Colocadas à venda em 2015, em janeiro deste ano (2018) o número de unidades residenciais e comerciais compradas já somava duas mil.

O sucesso das vendas parece não estar vinculado às comodidades da vida em uma “cidade inteligente”. Por mais que pareça tentadora a ideia de morar em uma cidade em que muitas das funcionalidades podem ser controladas por meio de um aplicativo para celular, parece que a explicação mais convincente para as vendas se encontra na valorização dos terrenos. De agosto de 2015 a novembro de 2017, o metro quadrado residencial de Smart City Laguna valorizou 140,9%, enquanto que o comercial subiu 218,2%. Quem comprou em 2015 parece ter feito um smart investment na primeira “cidade inteligente” do Brasil.

 

*com informações do site ArchDaily Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *